Cultura

O que será do Brasil?

Querem que aceitemos os políticos que estão aí. Temos de aceitar o roubo, a incompetência e a desonestidade porque ”político não dá em árvore”. ”E se nos transformarmos em um país governado por aventureiros?”, continuam. À essa gente, simplesmente podemos dizer: não nos subestimem! Somos o Brasil do Machado de Assis e do Villa-Lobos. Pelos nossos trenzinhos caipiras transportamos Tom Jobim e Manuel Bandeira, seja para a Gamboa ou Nova York. Por esses mesmos trilhos recebemos o que tinha de melhor em Okinawa, Frankfurt, Maputo, Beirute: suas pessoas. Não digam aos nossos mais de 200 milhões de sonhadores que não podemos fazer melhor e melhor!

Isaias Bispo de Miranda

Anúncios